carregador-descarregador

Carregador e Descarregador Automático NATREB

Nos últimos anos, a automatização de processos que antes eram manuais vem sendo fundamental para que uma cerâmica se mantenha competitiva e lucrativa. Os benefícios se destacam com a redução de custos e melhoria da qualidade das peças.  A movimentação de peças cerâmicas quando automatizada elimina o trabalho repetitivo das pessoas poupando-as de tarefas ergonomicamente prejudiciais e deixando com a máquina esta tarefa, que mantém a uniformidade dos movimentos sem deformar as peças.

De encontro a estas necessidades a NATREB desenvolveu a linha de carregadores e descarregadores automáticos para tijolos e blocos estruturais em secadores convencionais de vagonetas ou em secagem natural de estantes e paletes.

Trata-se de um conjunto de equipamentos que organiza os produtos de modo que possam ser distribuídos nas prateleiras das vagonetas, estantes ou paletes. O processo inicia na mesa aceleradora que recebe o material do cortador e leva até a mesa agrupadora, que tem a função de montar os pacotes. Montados os pacotes, o carregamento é realizado por meio da torre de carga, com sistema de mesa elevatória que pode funcionar com sistema de carregamento por arraste ou de rolete, dependendo da produção desejada pela cerâmica. Para alinhar o processo, é um posicionador mecânico que põe a vagoneta em frente à torre. Este mesmo princípio de funcionamento se estende para carregamento de estantes ou paletes.

Já os descarregadores têm como função automatizar a descarga das vagonetas do secador. Trata-se de um conjunto de equipamentos que retira o material das prateleiras e o encaminha para o carregamento do vagão do forno. É similar ao carregador, porém projetado para trabalhar de maneira inversa.

CONHECENDO A ESTRUTURA BÁSICA DOS CARREGADORES E DESCARREGADORES AUTOMÁTICOS

Por entender que estes equipamentos necessitam operar com a máxima confiabilidade e durabilidade, baixa manutenção, simples operação e baixo consumo energético, a NATREB desenvolveu equipamentos que operam em ciclos longos de trabalho sem a intervenção humana. São construídos com uma estrutura mecânica robusta, com matéria prima de alta qualidade, utilizando correntes especiais de movimentação, rolamentos de primeira linha, motoredutores de engrenagem cônica, atuadores pneumáticos com lubrificação a seca, entre outras peculiaridades que garantem uma longa vida útil do equipamento. Além das partes mecânicas de excelente qualidade, estes equipamentos também contam com uma automação dedicada, onde é utilizado componentes eletrônicos de última geração e de marcas confiáveis, como CLP, IHM, inversores, sensores, entre outros.

A NATREB desenvolve automações específicas para cada cliente, pois adaptamos os equipamentos de acordo com o layout disponibilizado na planta cerâmica, assim diminuindo custos operacionais e alterações de layouts quando instalados. Agora conheça as principais características, detalhes construtivos e tecnologias empregadas nos carregadores e descarregadores automáticos NATREB:

 

Estrutura Fixa

Estes equipamentos foram projetados para suportar altos ciclos de trabalho, onde o processo solicita estabilidade e confiabilidade da estrutura soldada. São fabricadas de perfis tubulares em aço, para aumentar a rigidez e durabilidade. Também se utilizam peças em chapas metálicas para fixação dos mancais, roletes e correntes, onde são cortadas em um processo de corte plasma, sendo possível seguir fielmente as medidas definidas no projeto 3D. A NATREB preza pela facilidade de manutenção, por isso seus projetos são desenvolvidos para facilitar possíveis reposições de peças e facilidade na desmontagem de subconjuntos.

 

Motoredutores

São os principais componentes eletromecânicos que incorporam os carregadores e descarregadores, são eles os responsáveis por grande parte dos movimentos exigidos para movimentação dos produtos. Por isso, a NATREB trabalha com marcas reconhecidas mundialmente pela sua qualidade, durabilidade e assistência técnica, sendo elas a SEW e NORD. Com o objetivo de diminuir o consumo energético dos equipamentos e facilitar a manutenção, aplica-se motoredutores de engrenagem cônica, onde consegue-se grandes torques com baixa potência. Para aumentar a eficiência do sistema e facilitar a manutenção, evita-se utilizar reduções externas, pois muitas vezes, são elas as responsáveis por paradas inesperadas no sistema.

Escrito por ruan

Categoria da postagem

Repercusão

Data da postagem

sexta-feira, 4 de setembro de 2020
}

Tempo de Leitura

3 minutos

U

Pesquisar

h

Postagens Recentes

Categorias de Postagens

Categories

Você também pode gostar de….
Como otimizar o layout de produção em uma cerâmica?

Como otimizar o layout de produção em uma cerâmica?

A produção de blocos, telhas e outros produtos cerâmicos exige a execução de uma série de processos que precisam ser estudados e desenhados em um layout de produção adequado para a máxima eficiência da produção e redução de custos nas cerâmicas. Em síntese, podemos...

Como funciona uma Extrusora?

Como funciona uma Extrusora?

No processo de fabricação de produtos cerâmicos, as Extrusoras desempenham um papel fundamental, conferindo o formato desejado à argila e transformando essa importante matéria prima nos produtos cerâmicos que atendem as demandas da sociedade como um todo e...

Confira 5 dicas para montar uma cerâmica de sucesso

Confira 5 dicas para montar uma cerâmica de sucesso

Pensando em montar uma cerâmica do zero ou então expandir a capacidade produtiva e de geração de negócios de uma cerâmica já existente? Neste artigo, a NATREB preparou 5 dicas, que podem contribuir significativamente para que a sua cerâmica alcance o sucesso e...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Orçamento
close slider